12.10.09

Duas bochechas e algumas tascas




O primeiro fim de semana por aqui não podia ter sido melhor: recebi a visita de uma bochecha amiga e feliz, Mariana Filgueiras, que anda tomando ares em Espanha, e partimos em aventuras pelas cozinhas de Coimbra. Começamos traçando sardinhas lindas numa pequena - mas muito pequena mesmo - tasca na zona histórica da cidade, perto da Universidade. Aliás, a cidade é generosa com os estudantes de poucos tostões: por um prato cheio de sardinhas no azeite, com pães e cerveja pagamos pouco mais de 4 euros (quase R$ 12,00). Seguimos rumo ao famoso “café com um docinho”, e escolhemos gemas e açúcar em forma de queijadinhas. Uma boa caminhada pela cidade nos levou a um restaurante indiano (um dos poucos que ainda estava aberto no fim da tarde), onde cada prato de bacalhau com batatinhas ao murro nos custou 6 euros (quase R$ 18,00). No outro dia, sapateira – eles gostam bastante disso por aqui: 8 euros por uma sapateira carnuda, martelada com gosto, acompanhada de um molho feito da sua própria carne e pão. Prefeito. Mas sinceramente? Amei, principalmente, a companhia. Aliás, nada é por acaso: a revista de culinária mais popular por aqui se chama... Mariana (na foto, ela e ela mesma). Volte sempre, bochechuda!

3 comentários:

Anônimo disse...

Ah, essa dupla! Saudade das duas... bj, Josie

mariana disse...

aaaaaahhhhhhhh que delícia!!! super-bochecha na foto, haja ladeira para perder as bochechas que ganhei por aí. ainda bem que vc veio me salvar nessa selva de civilizacão. vou voltar mais vezes, hein? e um ditado portuga de presente: "a mulher quer-se pequenina como a sardinha..." vai entender. rs.

Lívia Alves disse...

Vão entender os portugueses... Esse ditado é bem popular, mas será que é isso mesmo???
Como disse a Mariana: - Vai entender. Eu tenho cá minhas dúvidas.