11.7.07

Sobre Cuba e saudades



Ai, ai, ai. Ando com saudades de Cuba ultimamente. Se eu tivesse dinheiro, já tinha me mandado para lá ontem. Acho que a saudade apareceu porque "reencontrei" uma grande amiga, a Paloma (primeira foto, em Varadero), que foi comigo para lá, em 1999 (É isso, Panfets? Ou seria 2000?). Acompanhamos, meio a trabalho, meio a passeio, uma imensa delegação petista - que incluía o Lula e até meu ídolo Sócrates, líder da Democracia Corinthiana, mas isso é outra história... Enfim, Cuba. Havana, um tesão. Che e Fidel por todos os cantos, uma delícia. Varadero (o mar azul inacreditável, na segunda foto), linda e romântica. E, não riam (!), mas a única conexão que encontrei de Cuba com comida, que me serveria de pretexto para falar dela aqui, foi a foto do Daiquiri que tomei no Floridita, o restaurante preferido do Hemingway. Lembro que um drink destes custou uma fortuna para mim, então uma jornalista em início de carreira (para não dizer foca, né?). Queria mesmo botar aqui uma foto da cerveza Cristal, mas não sei onde foi parar, e outra da Bodeguita del Medio e seu mojito, mas estão todas muito ruins (naquele tempo eu não tinha máquina digital, não dava para consertar foto ruim). Para fechar, uma velha música da qual nem me lembrava mais, mas Fernando Morais - cujo maravilhoso livro "A Ilha" foi um dos primeiros que li quando comecei a entender alguma coisa da vida (e me acompanhou na viagem, obviamente) - me lembrou dela hoje à tarde. Olha, que coisa mais cheia de graça:

Cuba, que linda es Cuba
Oye, tu que dices que tu patria no es tan linda,
Oye, tu que dices que lo tuyo no es tan bueno,
Yo te invito a que busques por el mundo,
Otro cielo tan azul como tu cielo,
Una luna tan brillante como aquella
Que se filtra en la dulzura de la caña,
Un Fidel que vibra en la montaña,
Un rubí, cinco franjas y una estrella
Cuba, que linda es Cuba,
Quien la defiende la quiere más
Cuando estoy lejos, pienso en la playa,
En Varadero y Tarará
Cuando estoy lejos sé que me cuidas
Mi Virgencita, mi caridad

3 comentários:

Paloma disse...

Também tenho saudade dessa viagem...foi mto boa. Naquela época, a gente achava que ia mudar o mundo enchendo a pança de cerveja...heheheeh...minha cara na foto diz tudo, né! bjo amiga

JOan disse...

Hola Ines,
estava procurando a letra de "Cuba, que linda és Cuba" e caí no seu blog, e doeu mais ainda minha saudade quase doentia de lá, daquele povo, da Revolução, da proximidade com aquele sonho que é o socialismo. Estive lá em abril e maio como brigadista e devo voltar em dezembro, pois parece que se não voltar, sufoco!
Cuba nos prova que sim, é possível mudar o mundo (nao com a pança cheia de cerveja, rs..), mas com muita luta. A ilhazinha linda é nossa primeira trincheira e a que temos que defender agora com prioridade.
Bom, sou militante do movimento carioca de apoio a Cuba. Estamos na batalha de idéias por aqui, como podemos, pois somos poucos. Agregue-se!
beijo
Paula
paulag.gomes@yahoo.com.br

JOan disse...

Hola Ines,
estava procurando a letra de "Cuba, que linda és Cuba" e caí no seu blog, e doeu mais ainda minha saudade quase doentia de lá, daquele povo, da Revolução, da proximidade com aquele sonho que é o socialismo. Estive lá em abril e maio como brigadista e devo voltar em dezembro, pois parece que se não voltar, sufoco!
Cuba nos prova que sim, é possível mudar o mundo (nao com a pança cheia de cerveja, rs..), mas com muita luta. A ilhazinha linda é nossa primeira trincheira e a que temos que defender agora com prioridade.
Bom, sou militante do movimento carioca de apoio a Cuba. Estamos na batalha de idéias por aqui, como podemos, pois somos poucos. Agregue-se!
beijo
Paula
paulag.gomes@yahoo.com.br